Guia Gessulli
13-Jun-2018 14:54 - Atualizado em 14/06/2018 09:30
Revista Online

Nova edição de Avicultura Industrial já está disponível no site

Está no ar a edição 1277 da revista Avicultura Industrial

,
AI 1277 Capa
O setor avícola tem alguns desafios importantes para superar até o final desse ano. O primeiro deles é o custo de produção, que tem se elevado. O fator por trás desse aumento não é a safra brasileira, que tende a ser uma das maiores de sua história. A questão está em nossos vizinhos argentinos. A quebra de safra local, tanto em soja quanto milho, 20 milhões e 10 milhões de toneladas a menos, respectivamente, fez o preço internacional desses grãos subir, passando a ser interessante a venda no mercado externo para os agricultores brasileiros.

O segundo desafio está nas exportações da carne de frango, que apresentaram quedas no acumulado desse ano. No último comparativo divulgado, referente o primeiro trimestre, a redução foi de 5,6% nos volumes embarcados. Os motivos se relacionam em parte à Operação Trapaça, que revelou um esquema de adulteração de laudos sanitários, prejudicando a imagem do frango brasileiro e levando a União Europeia a bloquear importações de 20 frigoríficos do país. Os volumes não são grandes, mas os europeus são tidos como referência a outros países importadores.

Impacto maior teve o embarco parcial imposto pela Arábia Saudita, que tem questionado o uso de gás para a insensibilização de aves no processo de abate halal. Mercado responsável por importações correspondentes a US$ 1 bilhão por ano de frango brasileiro, só no acumulado até abril o recuo registrado foi de 22%. Algo bem significativo.

Esses fatores têm impacto sobre a disponibilidade interna de carne de frango, derrubando o preço do produto e apertando a margem de rentabilidade da indústria. Embora nas últimas semanas de maio os preços do frango tenham reagido, a elevação do custo pode de alguma forma neutralizar essa melhoria ao longo do segundo semestre. O setor avícola tem de trabalhar observando de forma atenta as demandas do mercado, atuar reforçando os vínculos com todos os países importadores, sem perder nenhum já conquistado, e acompanhar os sinais de melhoria da economia brasileira, o que deve elevar o consumo interno de frango, absorvendo eventuais excedentes de exportação. Ficando, ainda, atento às oportunidades que possam surgir no cenário internacional.

Uma boa leitura!

Humberto Luis Marques

Gessulli Agribusiness
Deixe seu Recado