Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Agroindústria

O que o ciberataque à JBS significa para o fornecimento de carne

A Casa Branca disse que o ataque foi provavelmente executado por uma organização criminosa com sede na Rússia e que está lidando com o governo russo sobre o assunto

Redação com informações de CNN Business
07-Jun-2021 09:35 - Atualizado em 07/06/2021 12:14

Alguns consumidores podem querer se preparar para outra possível crise de oferta - desta vez com carne.

A grande produtora de carne bovina e suína JBS USA sofreu um ataque cibernético no último fim de semana, levando a relatadas paralisações de fábricas da empresa na América do Norte e Austrália.

A Casa Branca disse que o ataque de ransomware foi provavelmente executado por uma organização criminosa com sede na Rússia e que está lidando com o governo russo sobre o assunto. O governo australiano disse que a polícia dos EUA está assumindo a liderança nas investigações do ataque.

Até agora, algumas autoridades e grupos comerciais garantiram que as operações voltarão ao normal o mais rápido possível, dissipando as preocupações de grandes perturbações. Mas os especialistas alertam que dependerá da rapidez com que o problema será resolvido.

Austrália espera atingir 'capacidade total' em breve

David Littleproud, o ministro australiano da Agricultura, Gestão de Secas e Emergências, disse à CNN Business na quarta-feira, hora local, que o país não acredita que haverá escassez de carne vermelha, embora a JBS responda por cerca de um quarto do processamento de carne vermelha da Austrália.

"Mas estamos obviamente preocupados com o fato de que existem hoje operações limitadas nas instalações da JBS em New South Wales e Victoria", disse ele. "Alguns trabalhos podem ser retomados em Queensland amanhã. Esperamos que eles voltem à capacidade total em breve, mas não há um cronograma definitivo."

O Australian Meat Industry Council, um importante grupo comercial, disse em um comunicado que "não há qualquer indicação de que este ataque cibernético causará um grande impacto no abastecimento doméstico australiano de carne vermelha e produtos suínos".

Os Estados Unidos querem manter o abastecimento em movimento

Nos Estados Unidos, um funcionário da United Food and Commercial Workers International Union disse na noite de terça-feira que todas as fábricas de carne bovina da JBS nos Estados Unidos foram fechadas.

A JBS, por sua vez, disse que "a grande maioria" de suas fábricas de alimentos será aberta na quarta-feira, acrescentando que "a JBS USA e a Pilgrim's conseguiram despachar produtos de quase todas as suas instalações para abastecer os clientes. As marcas da empresa incluem Pilgrim's, Great Southern e Aberdeen Black.

O Departamento de Agricultura dos EUA também disse que procurou processadores de carne em todo o país, incentivando-os a acomodar capacidade adicional e ajudar a manter a cadeia de abastecimento em movimento.

A agência disse que está conversando com organizações de alimentos, agricultura e varejo para "sublinhar a importância de manter uma comunicação próxima e trabalhar em conjunto para garantir um abastecimento alimentar estável e abundante".

Problemas de abastecimento podem depender do tempo

As consequências do ataque significam um suprimento de carne mais restrito à frente e, como resultado, preços mais altos? Isso depende da rapidez com que o problema seja resolvido, de acordo com especialistas.

"Mesmo um dia de interrupção impactará significativamente o mercado de carne bovina e os preços no atacado", escreveu o Steiner Consulting Group, especializado em preços de commodities, em nota na terça-feira.

Nos Estados Unidos, pelo menos, isso se deve em parte à alta demanda por hambúrgueres e outros produtos de carne bovina durante o fim de semana do Memorial Day.

"Os varejistas e processadores de carne bovina estão vindo de um fim de semana prolongado e precisam atender aos pedidos e garantir que preencham a caixa de carne. Se eles de repente receberem uma ligação dizendo que o produto pode não ser entregue amanhã ou esta semana, isso criará desafios muito significativos ", Explicou Steiner.

O ataque também pode "limitar a disponibilidade de oferta de carne suína e elevar os preços da carne suína no curto prazo", disse Steiner. O grupo observou que "pensamos que este é um problema importante, mas muito dependerá de quanto tempo a interrupção persistir."

Steve Meyer, economista consultor do National Pork Producers Council e do National Pork Board, concorda que uma interrupção de um ou dois dias pode fazer com que os preços da carne no atacado subam. Mas se o problema for resolvido em poucos dias, disse ele, é improvável que restaurantes e supermercados repassem esses custos para os consumidores.

"Eles provavelmente absorveriam isso no curto prazo", disse Meyer. "Contanto que houvesse luz no fim do túnel."

Se demorar mais para voltar ao normal, digamos algumas semanas, os clientes podem começar a sentir o impacto.

“Então você provavelmente vai ter alguns compradores, que dependem da JBS para seus suprimentos, que provavelmente podem ser produtos a descoberto”, disse ele. Nesse caso, para os consumidores, dependeria de onde seu armazém local obtém sua carne. "Se eles comprarem da JBS, você poderá ver alguma escassez. Se eles não comprarem da JBS, talvez você não veja nada."

'Estamos muito preocupados'

Um restaurante já mudou suas ofertas por causa do ataque cibernético. A Evans Barbeque Company em Villa Rica, Geórgia, disse em um post no Facebook na terça-feira que não aceitará mais pedidos em massa de carne suína além desta semana por causa da incerteza sobre o fornecimento.

"Estamos muito preocupados ... porque essa é uma grande parte do nosso negócio", disse Alicia White, coproprietária do restaurante, à CNN Business.

Antes da pandemia, os americanos podem ter ficado chocados com a ideia de uma escassez de carne. Mas o ano passado expôs as limitações da cadeia de abastecimento de carne do país, que é altamente concentrada em um punhado de fornecedores, incluindo a JBS USA. No início da pandemia, os trabalhadores adoeceram em frigoríficos lotados, fazendo com que as fábricas fechassem temporariamente suas portas. A interrupção fez com que os preços disparassem e gerou escassez à vista.

Agora, a perspectiva de mais escassez pode soar o alarme dos consumidores, especialmente porque eles já estão pagando mais pela carne: os preços da carne bovina subiram 6,1% durante as 17 semanas encerradas em 1º de maio em comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com os números mais recentes da NielsenIQ, que rastreia os dados de ponto de venda dos varejistas. O preço do frango subiu 4% e o da carne suína, 2,6%.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade