Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Relatório Mensal de Mercado

Os valores médios dos produtos de frango subiram de maio para junho, aponta Cepea

A boa competitividade da carne de frango seguiu favorecendo a liquidez da proteína em junho

Redação com informações de Cepea
06-Jul-2021 16:34 - Atualizado em 07/07/2021 08:39

Além das vendas internas, as exportações também registraram excelente desempenho ao longo do mês, contexto que manteve o setor com estoques mais baixos e permitiu elevações nos preços internos, tanto da carne quanto do vivo. Na ponta inicial, a procura de frigoríficos por novos lotes de animais impulsionou os preços da ave. O frango vivo para abate, comercializado no estado de São Paulo, teve média de R$ 5,27/kg em junho, avanços de 2% frente à de maio e de 54% na comparação com junho/20. Para o pintainho, na média das regiões do Paraná, o animal foi cotado a R$ 1,80/cabeça em junho, valor 1,5% maior que o de maio e ainda 42,3% acima do de junho/20, em termos nominais.

,
Cepea frango mensal Junho

Para a carne de frango, colaboradores do Cepea apontaram que as vendas aquecidas e o baixo nível de estoque permitiram fortes valorizações, principalmente no início do mês. Na segunda quinzena, apesar da expectativa do setor de recuo nas vendas e de consequente baixa nas cotações – como tipicamente se observa nesse período –, a liquidez esteve relativamente firme, e a queda nos preços foi leve. Dessa forma, os valores médios de praticamente todos produtos subiram de maio para junho nas regiões acompanhados pelo Cepea.

O frango inteiro congelado, comercializado no atacado da Grande São Paulo, se valorizou 4,6% de maio a junho, atingindo R$ 6,94/kg. Essa média foi 57,7% maior que a de junho/20, em termos nominais. Para os cortes negociados na região da capital paulista, a maior valorização se deu para o filé de peito congelado, de 5,6% de maio a junho, com a média a R$ 10,80/kg, sendo, ainda, 58,2% acima da de junho/20.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade