Alltech AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Produtividade

Parceria com China é peça-chave na sustentabilidade do agro, diz Tereza Cristina

Ministra da Agricultura afirma que há condições de aumentar produtividade, atendendo necessidades do mercado internacional com compromisso de conservação ambiental

Redação com informações de Valor
14-Out-2021 14:06 - Atualizado em 14/10/2021 14:44

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta quinta-feira que o Brasil vai mostrar na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26), na Escócia no próximo mês, os avanços que teve na sustentabilidade da produção agropecuária. Mesmo assim, ela reconheceu que é possível melhorar e invocou a parceria estratégica com a China para ajudar nesse desenvolvimento.

"Na COP 26 teremos a oportunidade de apresentar os avanços do Brasil nesse setor. Sabemos que podemos ir muito além, temos condições de aumentar nossa produtividade, aproximando produtor das necessidades do mercado internacional e fortalecendo o compromisso com o crescimento econômico e a conservação ambiental", afirmou durante evento do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC). "O Brasil é exemplo de produção com sustentabilidade. O agronegócio brasileiro tem colecionado resultados que transformaram o país em potência agroambiental", pontuou.

Segundo Tereza Cristina, a China, principal parceiro comercial do agronegócio brasileiro, é peça chave nesse processo. "Faço o compromisso de empreender esforços para que a sustentabilidade e a tecnologia continuem a ser vetores de desenvolvimento do nosso agronegócio e do relacionamento com nossos parceiros, em especial, com a China", destacou.

Para a ministra, a próxima década será marcada pela convergência digital e biológica, e os investimentos em inovação serão imprescindíveis para garantir o crescimento com segurança alimentar e proteção ambiental. "Sustentabilidade e tecnologia devem ser as bases para o desenvolvimento dessa parceria estratégica".

O secretário-geral do Itamaraty, embaixador Fernando Simas Magalhães, disse que China e Brasil compartilham o objetivo de promover desenvolvimento econômico sem comprometer o meio ambiente, e que o uso intensivo da tecnologia é indispensável para isso. "Há grande espaço para parcerias bilaterais no campo da sustentabilidade e inovação", afirmou.

 

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade