Mayekawa
08-Mar-2019 11:20 - Atualizado em 11/03/2019 11:13
Tecnologia & Inovação

Pesquisadores brasileiros estudam inclusão de insetos na alimentação animal

Dentre as pesquisas, uma desenvolvida pela Embrapa utilizou insetos na nutrição de aves

, Fernando Sinimbu (Embrapa Meio-Norte)
Pesquisa utilizou tenébrio (foto), grilo preto e mosca soldado negroFernando Sinimbu (Embrapa Meio-Norte)

 

Por Anderson Oliveira

 

A alimentação de planteis cada vez maiores de aves e suínos tem se tornado um desafio a cada ano devido às limitações das safras de milho e soja. Embora em 2017 o Brasil tenha colhido safras recordes dessas proteínas vegetais, o mesmo não ocorreu no ano passado. Como resultado, houve redução de oferta e aumento de preço e avicultores e suinocultores brasileiros tiveram aumento de custo. O problema pontual, no entanto, lança dúvidas sobre como o Brasil pode se tornar o maior produtor de carne de frango e um dos principais de carne suína nos próximos anos diante da necessidade de aumentar também as produções de milho e soja. A solução que se apresenta pode estar nos insetos. Pelo mundo, empresas já têm feito investimentos nesse sentido. Em uma joint venture, a Bühler e a Protix devem inaugurar neste ano uma fábrica voltada à produção de insetos – especificamente, larvas da mosca soldado negra – para uso em ração animal. Os estudos e investimentos para o uso dessas proteínas para a alimentação de aves e suínos, contudo, têm crescido não apenas fora do Brasil. A Embrapa Meio-Norte e pesquisadores de diferentes universidades já estão se debruçando sobre o tema. A cultura avessa ao uso de insetos na alimentação e a falta de incentivos, contudo, são barreiras enfrentadas no país.

Cientistas brasileiros e de Camarões, na África, dedicaram-se por três anos a uma pesquisa que buscou utilizar insetos na nutrição de aves e peixes. A conclusão a que chegaram foi de que é possível substituir gradualmente a ração convencional de peixes e aves, à base de farinha de peixe e farelo de soja, por uma dieta equilibrada com insetos. O trabalho empregou insetos como o besouro tenébrio (Tenebrio molitor), o grilo-preto (Gryllus assimilis) e a mosca soldado negro (Hermetia illucens) como alimentos alternativos para aves e peixes criados em cativeiro na agricultura familiar. A criação de insetos na propriedade ainda pode ser integrada à produção de fertilizantes por meio da decomposição de matéria orgânica realizada por suas larvas. É um processo circular, o que garante a sustentabilidade de toda a produção.

Confira a matéria na íntegra clicando aqui.

avicultura 2019, edição,
Avicultura 2019

Revista Avicultura Industrial
Deixe seu Recado