Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Evento climático

Possibilidade de La Niña em outubro

Fenômeno poderá levar chuvas às regiões Norte e Nordeste; no Sul, tendência é de precipitações menos regulares

Redação com informações de Valor
17-Set-2021 08:36 - Atualizado em 17/09/2021 09:50

Meteorologistas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), órgão ligado ao Ministério da Agricultura, indicaram a possibilidade de ocorrência do La Niña em meados da primavera, ainda em outubro.

O fenômeno, que se caracteriza pelo resfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico, afeta diretamente o clima do Brasil. Segundo o Inmet, o La Niña poderá levar mais chuvas às regiões Norte e Nordeste do país, enquanto, no Sul, as precipitações devem ocorrer com menos regularidade.

O meteorologista Mozar Salvador afirma que, com o La Niña e também com temperaturas mais baixas das águas oceânicas próximas à costa do Sul do Brasil e do Uruguai, crescem o risco de estiagem nas regiões Sul e Sudeste. Sob esse quadro, as chuvas no Nordeste e na região Amazônica poderão aumentar significativamente.

Tudo vai depender, diz ele, da intensidade do La Niña e do dipolo do Atlântico, fenômeno que apresenta mudança na temperatura da superfície da água do mar no Oceano Atlântico Tropical. “O La Niña, caso ocorra, será fraco e de curta duração. Se a ação do dipolo do Atlântico for mais forte, isso pode atenuar ou melhorar a situação”, afirma Salvador, em nota.

Ele diz ainda que o La Niña poderá beneficiar a região do Matopiba, confluência de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. “Para essas localidades do Nordeste, caso o dipolo e o La Niña continuem a se comportar como estão, será favorável. O dipolo é mais importante entre janeiro e maio. As condições dele, principalmente nesse período, é que vão definir um bom padrão de chuva para o Nordeste”, explica.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade