Alltech AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Projeção

Produção brasileira de frango deve crescer 2% em 2022, aponta USDA

De acordo com o departamento os níveis de produção estão previstos para estabelecer recordes históricos

Redação
16-Mai-2022 09:35 - Atualizado em 16/05/2022 09:54

De acordo com o relatório semestral divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o Brasil deve produzir 14,85 milhões de toneladas métricas  de carne de frango em 2022, crescendo 2% devido à forte demanda externa. O órgão prevê que sses níveis de produção estão previstos para estabelecer recordes históricos. O crescimento da produção baseia-se na forte procura externa, apesar da diminuição do consumo interno.

O relatório aponta que em 2022 os produtores brasileiros continuarão se beneficiando da robusta demanda global, que foi reforçada pela diminuição da oferta global. A oferta foi impactada pela disseminação da Influenza Aviária em várias partes do mundo, bem como pelo atual conflito na Ucrânia, que afetou a capacidade deste país de exportar para seus tradicionais parceiros comerciais – alguns dos quais se sobrepõem aos principais mercados do Brasil.

Os altos preços das rações têm pressionado a rentabilidade do setor, mas a demanda internacional compensará os produtores exportadores por causa do real desvalorizado. A rentabilidade da produção avícola é altamente dependente do preço da ração animal – o milho, por exemplo, representa cerca de 70% da ração fornecida às aves.

PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CARNE DE FRANGO , PROJEÇÃO 1997-2022

,
fonte: IBGE/USDA

Consumo Interno

O departamento americano aponta que o consumo interno fechará 2022 em 10,25 milhões de toneladas, ligeiramente reduzido em relação a 2021. Do total produzido 69% será destinada ao mercado interno em 2022. A expectativa de uma pequena redução no consumo doméstico é baseada na redução da oferta doméstica devido ao aumento das exportações, bem como ao aumento do consumo de ovos. Além disso, os consumidores recuaram nas compras devido a condições econômicas, como inflação ao consumidor, assistência social limitada e crescimento fraco do PIB.

O relatório aponta que o consumo doméstico de frango em 2022 representará 50% do consumo total de carne. O frango é a proteína mais consumida no Brasil, pois muitas vezes é o substituto da opção da carne bovina. Em decorrência das incertezas econômicas, muitas famílias recorreram à compra de carnes mais baratas, elevando os preços internos do frango, que atingiram níveis recordes em setembro de 2021. No acumulado dos últimos 12 meses, até fevereiro de 2022, os consumidores domésticos viram os preços de varejo do frango aumentam em média 15,26% para o frango inteiro e 25,16% para os cortes de frango no Brasil.

Exportações

Com relação ás exportações a publicação prevê um aumento de 9% em 2022 em relação ao recorde de 2021, para um total de 4,6 milhões de toneladas. Em 2022, as exportações devem representar 31% da produção total. O Brasil é o maior exportador mundial de carne de frango, seguido pelos Estados Unidos, União Europeia, Tailândia e Turquia. O surto de peste suína africana (PSA) na China em 2018 e sua disseminação para outras partes do mundo, surtos recentes de influenza aviária na Europa, Oriente Médio, África, Ásia e mais recentemente na América gerou déficits na produção de proteína animal em muitos mercados. Como o Brasil não foi afetado diretamente por essas crises, aumentou a demanda e as oportunidades para a avicultura brasileira.

O relatório afirma que o câmbio favorável acentuou ainda mais a vantagem do Brasil na exportação de commodities. Em 2021, os principais mercados para as exportações de frango do Brasil foram, na ordem: China, Japão, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e África do Sul. Até agora, em 2022, os cinco principais mercados foram, em ordem: China, Emirados Árabes Unidos, Japão, África do Sul e Arábia Saudita.

Mercado Halal

Como maior exportador mundial de proteína animal halal, o Brasil busca aumentar suas exportações para o mundo árabe e o governo trabalha para abrir novos mercados e aumentar a participação de outros países. Os Emirados Árabes Unidos são o maior importador de proteína animal halal brasileira e em 2021 foi o terceiro maior destino das exportações brasileiras de carne de frango. No primeiro trimestre de 2022, as exportações brasileiras para os Emirados Árabes Unidos aumentaram mais de 81%. As importações de frango pós-previsão permanecerão em 5 mil toneladas métricas, principalmente provenientes da Argentina.

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade