Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
UESB

Projeto de extensão "Quintais Produtivos" auxilia produtores quilombolas no manejo de galinhas

A intenção do projeto, além de capacitar os criadores no manejo das aves e na apresentação do produto ao consumidor, é divulgar a genética das cinco raças de galinhas que são desenvolvidas na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Redação com informações UESB
01-Ago-2022 08:01

Tradicionalmente, a criação de galinhas em quintais é utilizada para o consumo da própria família. No entanto, também são realizadas vendas dessas aves, vivas ou abatidas, como forma de contribuir na economia doméstica. Nesse sentido, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) tem buscado cooperar com o pequeno e médio produtor, oferecendo orientações, desde a biossegurança sanitária até o abate correto e venda das aves.

Com esse objetivo, está em desenvolvimento, no campus de Itapetinga, o projeto de extensão “Quintais Produtivos”, idealizado pelo professor Ronaldo Vasconcelos, coordenador do Laboratório Experimental de Avicultura. A ação é direcionada aos moradores do Quilombo de Thiagos, localizado na zona rural da cidade de Ribeirão do Largo.

De acordo com o professor, no Laboratório de Avicultura são desenvolvidas raças regionalizadas, há mais de 20 anos. Esses animais possuem muito potencial de crescimento e zootécnico e, também, são voltados para a produção do pequeno e médio criador que não está inserido no mercado agrícola, mas possui um mercado local a ser explorado: de vendas de ovos e de frangos do tipo caipira.

A intenção do projeto, além de capacitar os criadores no manejo das aves e na apresentação do produto ao consumidor, é divulgar a genética das cinco raças de galinhas que são desenvolvidas na Universidade. Segundo o pesquisador, três dessas aves chamaram a atenção dos quilombolas de Thiagos.

Uma delas é o Caneludo do Catolé, que é boa para criação em piquetes. “Ela cresce muito rápido e dá bastante carne. Galos adultos chegam a pesar cinco quilos e galinhas de três a três quilos e meio”, conta o professor. A outra raça é o Peloco, remanescente de um quilombo da região do cacau e, também, das regiões de Itacaré, Uruçuca e Aurelino Leal. “É um material misto que tem uma carne mais pigmentada maravilhosa”, continua. Por fim, a raça Meia-perna, que é desenvolvida na Universidade apenas para postura. “Ela é pequenininha, uma ave de um quilo e meio, que dá um ovo de 60 gramas e pode chegar a por, aproximadamente, de 230 a 240 ovos ano. É o ovo tipo caipira mesmo”, explica.

Etapas do projeto – A primeira fase do “Quintais produtivos” foi a de controle sanitário, e foi concluída em junho, quando os quintais dos produtores quilombolas foram percorridos, para a realização de vacinação das aves que eles já possuem. “À medida que formos desenvolvendo o projeto, não vamos dizer aos produtores para eliminarem o material que já têm, que é muito bom. Nós vamos cuidar desse material e produzir, também, o nosso”, esclarece Vasconcelos.  A próxima etapa está prevista para agosto, com o curso de produção de ração para frangos e entrega das aves para o primeiro grupo que optou pelo material de postura.

“Nós devemos levar em torno de 300 a 400 franguinhas para eles. Até março do próximo ano, nós devemos entregar cerca de duas mil aves. Essas aves são todas produzidas no Laboratório de Avicultura”, destaca o professor. Para ele, essa aproximação entre a Uesb e a comunidade, por meio da extensão, é uma forma de contribuir com a sociedade. “Eu acho muito relevante a Universidade estar presente em todos os âmbitos sociais da região. É obrigação nossa e é o tripé da Universidade. Aqui, a gente recolhe material genético do estado inteiro e desenvolve raças”, sublinha.

O pesquisador também ressalta a abrangência da pesquisa realizada na Uesb. “É um trabalho muito sério e produtivo, reconhecido internacionalmente, porque nós já fazemos parte de associações internacionais que trabalham com esse mesmo seguimento”, comentou. Apesar do projeto atender, essencialmente, ao Quilombo de Thiagos, o professor conta que a intenção é estendê-lo para a Bahia inteira. Nesse sentido, interessados, como associações agrícolas, escolas agrícolas ou pequenos criadores, devem entrar em contato com o Laboratório de Avicultura por meio do e-mail: [email protected] para ser cadastrado. Posteriormente, o Projeto organizará a forma de entregar o material.

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade