Guia Gessulli
18-Abr-2001 15:43 - Atualizado em 20/04/2016 14:35

Resistência bacteriana aos antibióticos

Da redação 18/04/01 15:40 - O uso seguro de antibióticos é essencial para prevenir o desenvolvimento da resistência bacteriana. Essa é a opinião de técnicos do Ministério da Saúde e da Federação Internacional para Saúde Animal (IFAH), entidade que representa mundialmente a indústria veterinária, presentes ao Simpósio de Resistência Bacteriana aos Antimicrobianos, realizado no Rio de Janeiro, no início de abril. "A IFAH reconhece os esforços feitos pelo Ministério da Saúde em organizar o simpósio para troca de informações abordando este relevante tema e está empenhada em trabalhar de maneira aberta e cooperativa junto com as autoridades oficiais brasileiras relacionadas aos cuidados com a saúde humana", afirma o Anthony J. Mudd, secretário geral da IFAH.

Os princípios do uso seguro de antibióticos foram desenvolvidos pela IFAH em 1999, em conjunto com a Associação Mundial de Veterinária (WVA) e a Federação Internacional dos Produtores Agrícolas (FIPA/IFAP), objetivando manter a eficácia dos antibióticos sem comprometer a saúde pública. "Existem suposições de que o uso dos antibióticos em animais poderia induzir à transferência de resistência bacteriana às pessoas e assim reduzir a eficácia dos medicamentos no tratamento das infecções humanas. Apesar do risco ainda não ter sido cientificamente quantificado, a indústria veterinária tem respondido claramente à preocupação pública e está comprometida em assegurar que os antibióticos sejam usados na produção animal de maneira correta", ressalta dr. Mudd.

O dirigente ressalta que a indústria de saúde animal também participou da elaboração das recentes recomendações adotadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o uso de antimicrobianos em animais destinados ao consumo humano. "Tais recomendações confirmam muitas das boas práticas já implementadas por associações de produtores, organizações de medicina veterinária e indústria veterinária, entre outros órgãos. Em seu relatório Estratégia Global para Contenção da Resistência Antimicrobiana, a OMS desenvolveu o alicerce para o uso dos antibióticos em animais destinados ao consumo humano", explica dr. Anthony J. Mudd.

Essas recomendações da OMS são freqüentemente apresentadas de maneira parcial, omitindo o texto completo, em que a análise de risco é essencial para determinar o risco relativo da resistência bacteriana aos humanos decorrente do uso de antibióticos em animais destinados à produção de alimentos.

O Simpósio de Resistência Bacteriana aos Antimicrobianos enfocou principalmente o desenvolvimento da resistência bacteriana resultante da prescrição excessiva e do uso incorreto dos antibióticos na saúde humana, comprometendo assim a eficácia desses importantes instrumentos no tratamento de doenças em seres humanos.

"Algumas preocupações têm sido manifestadas sobre a transferência da resistência bacteriana de animais produtores de alimentos para as pessoas, apesar de os dados científicos disponíveis ainda não ser suficientes para quantificar adequadamente esse risco. A indústria de saúde animal, em escala mundial, tem sido pró-ativa e continuará cooperando com a comunidade científica para desenvolver um entendimento mais completo", afirma o secretário geral da IFAH.

A cooperação da comunidade científica continuará a assegurar o fornecimento de alimentos seguros, abundantes e a custos acessíveis para atender às necessidades da crescente população mundial. "Alimentos saudáveis provêm de animais saudáveis e a IFAH está dedicada à tarefa de garantir que os antimicrobianos sejam usados de maneira segura e responsável em benefício de todos. A avaliação de risco, em base científica, deverá ser parte desse processo e a IFAH continuará a promover sua aplicação", afirma o Mudd, que ressalta: animais saudáveis = alimentos saudáveis = pessoas saudáveis.

Texto Assessoria de Comunicações
Deixe seu Recado