Eurotec
09-Out-2019 09:07
Declaração

Secretário da Agricultura de SP chama defesa agropecuária de 'entulho' e gera críticas de servidores

No texto, servidores informam que não são contra o agronegócio, pois fazem parte dessa cadeia e que a defesa agropecuária existe para viabilizar e trazer segurança sanitária e fitossanitária para produção

Servidores da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) do Estado de São Paulo criticaram o secretário da Agricultura, Gustavo Diniz Junqueira, por ele ter classificado o órgão como um "entulho". A fala de Junqueira, reproduzida em redes sociais da própria Pasta, ocorreu ontem (7), durante reunião do Conselho Superior do Agronegócio da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Cosag/Fiesp).

"...Temos outros entulhos, como a própria Defesa Agropecuária, que precisa ser renovada e melhorada para que o capital, o interesse, o risco de mercado, de fato, tenham mais valor do que simplesmente uma autorização em Brasília, em São Paulo, no Paraná, ou em qualquer que seja. O Estado tem de participar o menos possível da vida do setor agro", diz Junqueira em um trecho do vídeo.

Em um documento obtido pelo Broadcast Agro e encaminhado ao secretário, servidores dizem que foram "surpreendidos com o teor do vídeo (...) no qual o senhor fala para uma plateia adjetivando nossa coordenadoria com um tom pejorativo de 'entulho' institucional". Os funcionários avaliam que, mesmo com os cortes - apenas um trecho da fala de Junqueira foi publicado no vídeo - "ficou claro o sentimento (...) para com a Coordenadoria de Defesa Agropecuária e a falta de conhecimento do funcionamento deste órgão".

No texto, servidores informam que não são contra o agronegócio, pois fazem parte dessa cadeia e que a defesa agropecuária existe para viabilizar e trazer segurança sanitária e fitossanitária para produção, comércio e consumo de produtos agropecuários. Eles citam também que o Estado de São Paulo é o maior exportador de carne, suco de laranja e açúcar, além de ser o segundo maior mercado de plantas ornamentais fora da Holanda.

"Tudo isso só é possível graças ao trabalho dos mais de 700 servidores, os mais de 3.000 agrônomos e médicos veterinários habilitados pela CDA e, principalmente, ao produto rural do Estado de São Paulo", relatam. No documento, servidores relatam que não são contra a modernização e trabalham com afinco para promovê-la. "Funcionários desta instituição não representam uma despesa, um custo, mas sim um ativo, com profissionais do mais alto gabarito, os melhores que um órgão de defesa pode ter".

Por fim, os servidores informam que querem "trabalhar em prol de uma gestão eficiente, moderna e antenada com a realidade que vive o País, e gostaríamos de ser tratados com respeito que qualquer cidadão merece, principalmente em seu ambiente de trabalho".

Em nota encaminhada ao Broadcast Agro, a Secretaria Agricultura informa que "a Defesa Agropecuária é fundamental e estratégica para o agro brasileiro e paulista, pois sua atuação de forma cada vez mais ativa poderá garantir um País seguro e atrair empresas para investirem no setor, gerando emprego, renda e produtos de maior qualidade".

De acordo com a Pasta, "a necessidade de modernização é importante e contínua para atualização das normas de defesa agropecuária, que são antigas e necessitam de ajustes para se adequar às atuais demandas das empresas e consumidores". A nota cita como exemplo a lei estadual 17.054, de 6 de maio de 2019, "que moderniza a fiscalização, comercialização, utilização e destinação dos defensivos agrícolas, o que até então era regido por uma legislação de 1984".

Na nota, que não trata sobre a fala do secretário, a Secretaria informa que "está atuando para melhorar e modernizar seus órgãos, as normativas e, enfim, a prestação de serviços à população paulista. A defesa agropecuária é elemento vital para a segurança de toda a produção, razão pela qual temos dado a devida atenção e importância", conclui.

Estadão Conteúdo
Deixe seu Recado