Eurotec
31-Out-2019 10:38 - Atualizado em 31/10/2019 12:00
Disponible en español
Comércio Exterior

Senado mexicano pede fim da importação de frango do Brasil e dos EUA

Segundo Comissão do Senado, no México há produção suficiente para suprir a demanda do mercado interno

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Pesca e Desenvolvimento Rural, presidida pelo senador José Narro Céspedes, de Morena, pediu ao Executivo Federal para suspender a importação de carne de frango do Brasil e dos Estados Unidos. Segundo ele, no México há produção suficiente para suprir a demanda do mercado nacional. Além disso, os preços estão controlados e não há riscos sanitários com a Influenza Aviária, como aconteceu em 2012.

Durante a terceira reunião ordinária desse órgão legislativo, o parecer foi aprovado com um ponto de acordo sobre esse assunto, considerada resolução urgente e óbvia.

Narro Céspedes disse que a crise causada em 2012 pela Influenza Aviária fez com que o Brasil e os Estados Unidos se tornassem fornecedores de carne de frango de baixo custo, com preços subsidiados nesses países, o que se tornou uma concorrência desleal.

“Hoje, a produção nacional é suficiente para cobrir o mercado e não temos riscos de outra epidemia dessa doença e os preços são estáveis. É necessário fortalecer a produção nacional, em vez de manter as importações, porque elas até qualificam nossa produção como desperdício de carne. Isso não vale a pena. Os riscos de algumas doenças sempre existem, mas hoje eles estão sob o controle das autoridades sanitárias”, afirmou o senador.

Em outro ponto da agenda, os membros da Comissão aprovaram um parecer com um ponto de acordo, também considerado urgente e óbvio, para solicitar aos titulares das Secretarias de Finanças e Crédito Público (SHCP) e Agricultura e Desenvolvimento Rural (Sader), realocar recursos dos sub-exercícios do ano fiscal de 2019 para apoiar os produtores de cana-de-açúcar em vários estados, devido à seca prolongada que afetou o cultivo desse produto.

Eles também aprovaram uma iniciativa para reformar e adicionar várias disposições da Lei de Desenvolvimento Rural Sustentável, para que os produtores agrícolas tenham acesso a treinamento técnico gratuito com engenheiros agrônomos e subsidiados por organizações camponesas, para tornar o campo mais produtivo e garantir alimentos para a população em geral.

Na seção de assuntos gerais, os legisladores aprovaram com urgência e obviamente uma iniciativa de reforma da Lei de Desenvolvimento Rural Sustentável, proposta pelo senador Narro Céspedes, para que o amaranto seja incluído nos produtos da cesta básica, devido às suas características nutricionais.

Participaram da reunião líderes de organizações de aves e produtores de amaranto, além de representantes do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (Sader).

Redação AI
Deixe seu Recado