Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Sanidade

Suasa completa 15 anos garantindo a qualidade da produção brasileira do campo à mesa

Conhecido como o SUS do agronegócio, o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária promove a saúde animal, a sanidade vegetal e a segurança alimentar

Redação
30-Mar-2021 12:49

Você pode até não saber, mas existe um sistema único no Brasil responsável por garantir a qualidade na produção dos alimentos bem antes de eles estarem disponíveis ao consumo. É desde o campo que o controle e a fiscalização acontecem, perpassando todo sistema produtivo animal e vegetal para garantir produtos com qualidade nutricional e sanitária.

Conhecido como o SUS do agronegócio, o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) completa 15 anos nesta terça-feira (30). O objetivo do sistema é promover a saúde animal, a sanidade vegetal e a segurança alimentar. Este 30 de março marca a publicação do Decreto n° 5.741, que, em 2006, regulamentou o Sistema.   

“O SUASA é o marco da defesa agropecuária, garantindo a segurança da produção e dos alimentos. É o equivalente ao SUS no agro: de forma integrada, estruturas estáveis atuam reconhecendo a segurança na produção agropecuária como um bem comum”, declarou a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal, destaca que o Suasa congrega e integra ações do Mapa com as agências estaduais de da com os municípios, consórcios municipais e setor privado. "Com um destaque muito importante para o engajamento do produtor rural brasileiro nos programas de controle e erradicação de doenças animais e de pragas nos vegetais. O Sistema está presente na maioria dos municípios, tem capilaridade e está próximo ao setor rural", diz. 

Integração

As regras definidas pelo Suasa são aplicadas de forma integrada atingindo todos os elos: produtores, consumidores e empresários do setor. Assim, é possível garantir identidade, qualidade e segurança higiênico-sanitária e tecnológica aos produtos. 

Tudo começa no local da produção primária. Ou seja, é no campo que são realizadas a fiscalização e a defesa sanitária animal e vegetal. Também há a fiscalização dos insumos e serviços utilizados na produção, como vacinas e ração na agropecuária e fertilizantes e sementes na agricultura. 

Após a produção, os produtos são inspecionados e classificados, conforme critérios fitossanitários, até chegar às gôndolas dos estabelecimentos comerciais. É esse ciclo que garante a segurança alimentar dos produtos, seja no mercado interno ou nas mesas estrangeiras, quando destinados à exportação. 

A produção e o comércio de produtos de origem animal e vegetal seguros e de qualidade é fundamental para o abastecimento interno e para a saúde e o bem-estar da população. Além disso, contribui para o desenvolvimento socioeconômico brasileiro.

Articulação federativa 

A diretora de Suporte e Normas do Mapa, Judi da Nóbrega, explica que para que os alimentos possam circular por todo o território nacional é necessário que os requisitos de segurança dos produtos, estabelecidos pelos diversos entes federativos, sejam semelhantes, principalmente no que diz respeito aos conceitos, princípios e procedimentos de inspeção executados pelo Poder Público. 

“A rígida fiscalização também promove a concorrência leal entre os agentes que atuam nos setores agropecuários e a proteção destes em relação a práticas desleais e a riscos de doenças e pragas exóticas no País”, afirmou.  

Além do Mapa, representado pela Secretaria de Defesa Agropecuária, também compõem o Suasa órgãos dos estados, Distrito Federal, Municípios e seus consórcios públicos; os produtores e trabalhadores rurais; os fabricantes de produtos e insumos; as associações representativas; os técnicos que lhe prestam assistência; órgãos de fiscalização das respectivas categorias profissionais; e as entidades gestoras de fundos organizados pelo setor privado. Nas questões atinentes à saúde pública, o Suasa articula-se com o SUS. 

Como parte desse Sistema, foram criados os Sistemas Brasileiros de Inspeção de Produtos e Insumos Agropecuários, conhecidos como Sisbi. Essas são as ferramentas legais disponibilizadas para que se proceda uma articulação federativa efetiva entre a União, os Estados e os Municípios, cabendo ao Mapa atuar como instância central e superior e órgão coordenador. 

 Marcos Legais 

Apesar de a Política Agrícola ter sido mencionada na Constituição Federal de 1988, ela foi pouco detalhada, não estabelecendo o compartilhamento de responsabilidades entre os entes federativos, sendo a questão remetida às legislações ordinárias e suas regulamentações. 

Em 1991, então, foi publicada a Lei n° 8.171, que instituiu a Política Agrícola brasileira. Mesmo tendo sido selecionada como um de seus instrumentos, a Defesa Agropecuária só foi estabelecida legalmente com a publicação da Lei n° 9.712/1998, que ficou conhecida como a “Lei da Defesa Agropecuária”. 

Instituído pela Lei de 1998, o Suasa, no entanto, somente foi regulamentado pelo Decreto n° 5.741, em 2006. 

Saiba mais sobre o funcionamento do Suasa no site do Mapa

Avanços 15 anos 

Ao longo dos últimos 15 anos, a atuação do Suasa permitiu avanços na questão sanitária da produção nacional. O Mapa destaca alguns fatos marcantes que contribuíram para o aumento da produção e comercialização dos produtos com ainda mais segurança.  

Febre aftosa

2006 – O Brasil convivia com a reintrodução da doença em sua zona livre com vacinação e trabalhava, incessantemente, para restituir o status sanitário da maior parte dessa zona, suspenso pela Organização Mundial de Saúde Animal – OIE no ano anterior.
2021 – O Brasil mantém a condição de livre de febre aftosa em todos país e avança com o processo de implantação de novas zonas livres de febre aftosa sem vacinação.
 Peste Suína Clássica (PSC)

2006 – O Brasil mantinha sua zona livre da doença, com reconhecimento nacional desde 2001 e com a última ocorrência dela registrada em 1998.
2021 – O Brasil avançou, conquistou o reconhecimento internacional, junto à OIE, de duas zonas livres da doença em 2015 e 2016, contemplando dezesseis unidades da Federação e beneficiando mais de 90% da produção comercial de suínos do país
 Encefalopatia Espongiforme Bovina

2006 – O Brasil era classificado pelos países importadores, conforme as classificações de riscos que adotavam.

2021 – O Brasil mantém as medidas de vigilância e a classificação de todo país com o Risco de EEB insignificante, junto com somente outros 49 países, conquistado perante à OIE em 2012.
 Outras certificações zoossanitárias internacionais

2006 – O Brasil mantinha a condição sanitária nacional de livre de peste bovina, doença com última ocorrência registra em 1921; mantinha suas ações de prevenção e o país livre de pleuropneumonia contagiosa bovina, peste equina e peste dos pequenos ruminantes, doenças nunca registradas no território nacional.

2021 – O Brasil mantém suas certificações sanitárias de livre de peste bovina (PB), pleuropneumonia contagiosa bovina (PPC), peste equina (PE) e peste dos pequenos ruminantes (PPR). 

Assuntos do Momento

Brasil recebe autorização da Anvisa e poderá produzir até 400 milhões de vacinas em 90 dias
22 de Abril de 2021
Saúde

Brasil recebe autorização da Anvisa e poderá produzir até 400 milhões de vacinas em 90 dias

O próximo passo é buscar a transferência de tecnologia para dar início à produção dos imunizantes

16 de Abril de 2021
Cooperativa

Em entrevista, CEO da BRF diz que será preciso criar carne a partir de células de animais

Lorival Luz, CEO global da BRF, deu entrevista para UOL sobre tendências e perspectivas da marca

São Salvador Alimentos passa a fabricar produtos industrializados de frango com projeto Marel
20 de Abril de 2021
Mercado

São Salvador Alimentos passa a fabricar produtos industrializados de frango com projeto Marel

O projeto atenderá duas linhas de produção: os embutidos e empanados

BRF consolida a inovação como pilar de transformação e desenvolvimento sustentável
20 de Abril de 2021
Mercado

BRF consolida a inovação como pilar de transformação e desenvolvimento sustentável

Companhia dobrou investimentos em Inovação e P&D nos últimos dois anos e a intenção é aumentar ainda mais em 2021

A diferença entre os preços de ovos brancos e vermelhos é recorde
19 de Abril de 2021
Cotação

A diferença entre os preços de ovos brancos e vermelhos é recorde

Os valores dos dois tipos de ovos estão em alta, impulsionados pelas vendas aquecidas

Evonik faz investimento complementar na In Ovo em apoio ao lançamento da máquina para teste de  sexagem em ovos
20 de Abril de 2021
Mercado

Evonik faz investimento complementar na In Ovo em apoio ao lançamento da máquina para teste de sexagem em ovos

Startup atinge o estágio de comercialização de sua tecnologia. Determinação rápida e confiável da sexagem de embriões dentro do ovo agora é possível em escala. Tecnologia permite aos produtores de ovos evitar o descarte de pintos machos, procedimento que será proibido na Alemanha a partir de 2022

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade