Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Conteúdo Técnico

Sustentáveis e mais resistentes, embalagens secundárias de papelão ganham espaço em produtos cárneos

Estas embalagens se tornaram fundamentais no processo de preservação das características e da qualidade de produtos, pois, além de servir como agregador de volume, proporciona um adequado manejo para resfriamento ou congelamento

Redação
06-Mai-2021 10:00

Dos materiais para embalagens, o papel é aquele que possui um dos menores impactos ambientais. Biodegradável por natureza, sua composição tem muito a colaborar com a sustentabilidade da cadeia de suprimentos do setor alimentício.

Contudo, nem sempre foi assim. Lá no início da utilização do papelão ondulado, ele foi desacreditado pelas companhias de fretes e seguros pela sua fragilidade em preservar o produto embalado quando comparado às caixas de madeira, tão utilizáveis até aquele momento. “Tal era a desconfiança que, propositadamente, chutavam-se as embalagens para comprovar que o bico do calçado era capaz de perfurar sua frágil estrutura e que altos valores de seguros deveriam ser taxados às embalagens”, comenta Álvaro João Pressanto, assessor de Mercado da Trombini, indústria do setor de embalagens.

Confira a matéria completa na edição 1306 da Revista Avicultura Industrial

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade