AveSui EuroTier South America Full
23-Jun-2016 09:40 - Atualizado em 28/03/2017 17:08
Entrevista

Você conhece o conceito One Health (Saúde Única)?

O professor e reitor associado do Western College of Veterinary Medicine, da Universidade de Saskatchewan, Baljit Singh, explica o conceito de One Health (Saúde Única), que trata da integração entre saúde humana, saúde animal, ambiente e políticas públicas.

releases empresas, fotos atualizadas ,
O professor e reitor associado do Western College of Veterinary Medicine, da Universidade de Saskatchewan, Baljit Singh, explica o conceito de One Health

O termo One Health tem ganhado espaço gradativo dentro das discussões científicas que tratam de questões ligadas à epidemiologia. Traduzido como Saúde Única em português, o termo trata da integração entre saúde humana, saúde animal, ambiente e adoção de políticas públicas efetivas na prevenção e controle de enfermidades.

A expressão é de uso recente, mas os conceitos que o embasam são bem mais antigos. O médico patologista alemão Rudolf Virchow (1821-1902) já afirmava no século 19 que entre animais e medicina humana não há divisórias; e nem deveria haver. Ele foi o responsável por cunhar o termo zoonose.

Ao longo de todo o século seguinte, cientistas ligados a várias especialidades constataram haver similaridade entre os processos infecciosos causados por enfermidades em seres humanos e animais. No entanto, medicina humana e veterinária seguiram suas trajetórias como práticas totalmente independentes uma da outra. Somente nos últimos anos é que se tem início um esforço de aproximação entre essas duas áreas.

Com o lançamento em 1984 da obra “Veterinary Medicine and Human Health”, o médico veterinário norte-americano Calvin W. Schwabe (1927-2006) discutiu e reforçou a importância da junção entre saúde humana, animal e ambiente. No livro, adota a expressão “One Medicine” e passa a defender esse conceito, que pouco mais tarde passaria a ser mais conhecido como “One Health”.

Em 2007, durante a Conferência Ministerial Internacional sobre Influenza Aviária e Pandêmica, realizada em Nova Deli, na Índia, e que contou com a presença de representantes de 111 países e de 29 organizações internacionais, os governos foram encorajados a aplicar o conceito de One Health, construindo pontes de ligação entre os sistemas de saúde humana e animal. No ano seguinte, organizações internacionais como a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organizações das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) passam a desenvolver estratégias conjuntas dentro do conceito One Health, cujo objetivo é tentar reduzir os riscos de emergência e disseminação de doenças infecciosas resultantes da interface entre animais, humanos e ecossistemas.

Especialista no conceito One Health, Baljit Singh, professor e reitor associado do Western College of Veterinary Medicine, da Universidade de Saskatchewan, no Canadá, esteve no Brasil em março participando do One Health Summer School. O evento foi promovido pelo Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da FMVZ-Unesp, em Botucatu (SP), resultado de um convênio firmado entre a universidade brasileira e canadense para o intercâmbio de informações e debate sobre o tema. Em Saskatchewan, Singh coordena o Programa Integrado de Formação em Doenças Infecciosas, Segurança Alimentar e Políticas Públicas (ITraP), o primeiro curso de pós-graduação a tratar da questão do One Health no Canadá.

Durante sua passagem pelo Brasil, Singh recebeu a reportagem de Avicultura Industrial. Na entrevista, explica os principais pontos relacionados ao conceito One Health, aponta os grandes desafios para sua implantação e reforça a importância do trabalho conjunto e coordenado para que ele realmente funcione, o que exige uma mudança de mentalidade dos profissionais; algo só possível se iniciado ainda durante o período acadêmico. Confira.

Avicultura Industrial – O surgimento de velhas e novas zoonoses e seu impacto em saúde pública é hoje motivo de grande preocupação, tanto para instituições internacionais que cuidam da saúde humana quanto da saúde animal. Hoje, 60% das doenças infecciosas humanas têm sua origem em animais. Ao longo das últimas três décadas, 75% das novas doenças infecciosas emergentes em humanos foram zoonoses. Em sua opinião, quais fatores têm favorecido o surgimento, reemergência e disseminação dessas enfermidades zoonóticas?

Baljit Singh – O conceito de doenças zoonóticas é muito antigo; remonta centenas de anos. Na história da humanidade sempre existiram vírus e bactérias transmitidos de animais para humanos. A diferença é que hoje há alguns fatores altamente favoráveis ao surgimento e reemergência dessas enfermidades. O contato mais próximo entre seres humanos e animais, principalmente os selvagens, é um deles. A degradação do meio ambiente e o aumento populacional intensificou esse contato entre humanos e animais em seus habitats, o que tem favorecido em muito a transmissão de agentes infecciosos. Os meios de transporte também. A facilidade e rapidez com que as pessoas se deslocam atualmente pelo mundo é um fator relevante na disseminação de doenças. Um aspecto interessante, que não tem relação direta com transmissão das doenças, mas gera forte impacto na opinião pública, é o papel dos meios de comunicação nesses casos. Hoje, sabemos de maneira quase imediata se há alguém doente do outro lado do mundo. Em poucos dias ou semanas é possível se ter informações sobre ocorrências sanitárias em qualquer parte do planeta. É algo positivo se pensarmos na importância dessas informações circularem e termos acesso a elas. Por outro lado, gera um alarde muitas vezes desproporcional junto à população mundial.

Redação Avicultura Industrial / Humberto Marques e Rodolfo Antunes
Deixe seu Recado