Mayekawa
13-Set-2019 09:38 - Atualizado em 13/09/2019 09:58
TvGessulli

DESTAQUES - Mais carne para China e o surto de influenza aviária no Chile

Semanalmente os portais Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial resumem as principais notícias do setor

 

Boas notícias para as exportações brasileiras de carne de frango e carne suína. Logo no começo da segunda-feira, a China anunciou a habilitação de 25 frigoríficos brasileiros para exportação de carnes. Desse total, seis são estabelecimentos de aves. Apenas um, no entanto, é de produção de carne suína. Trata-se da unidade da BRF em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso.

A habilitação de novas plantas ocorre paralelamente à iniciativa do governo chinês de liberar para a população o consumo de reservas de emergência de carne suína. Pelo menos quatro cidades ou províncias que abrigam cerca de 130 milhões de pessoas começaram a baixar estoques para inundar o mercado com carne suína congelada, na tentativa de estabilizar os preços e aumentar a oferta.

Os preços da carne suína na China subiram 47% em agosto, de acordo com o Bureau Nacional de Estatísticas da China. Esse foi um aumento muito maior do que os preços da carne suína de julho, que saltaram 27% em relação ao ano anterior.

E as exportações, que tiveram baixa em agosto, sinalizaram melhora neste começo de mês, segundo dados do Ministério da Economia. Nos primeiros cinco dias úteis do mês foram remessadas ao exterior 16,3 mil toneladas de carne suína, registrando uma média de 3,3 mil toneladas por dia. Um número 63,2% maior que a média para o mês de agosto e quase 30% maior em relação a setembro de 2018.

Em carne de frango, foram remessadas ao exterior 91,6 mil toneladas, registrando uma média de 18,3 mil toneladas por dia. O número é 34,1% maior que a média para o mês de agosto e quase 4% maior em relação a setembro de 2018.

Ainda na avicultura, o Peru, Hong Kong e Argentina decidiram suspender temporariamente as importações de produtos e subprodutos de aves e também de aves vivas do Chile. A determinação ocorre após o Serviço Agrícola e Pecuário do Chile (SAG) relatar à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) um novo surto de influenza aviária. De acordo com o serviço chileno, o surto de Influenza aviária de baixa patogenicidade do sorotipo H7 foi identificado num plantel de perus de engorda.

A equipe da Avicultura Industrial conversou com os pesquisadores da Embrapa Suínos e Aves, Luizinho Caron e Marcos Mores, sobre a ocorrência de influenza aviária no Chile e o que os produtores brasileiros podem fazer para proteger seus planteis. A matéria completa e outros conteúdos vocês encontram nos nossos portais.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado